Ano 37 - Sede: Prédio 22 - Centro de Convivências - Fone: (51) 3339.7173 ou ramal 4020. Expediente : das 09h às 20h, 2a à 6a feira - Exceto Feriados Prolongados e Férias.
Date:abril 12, 2017

Cuidando do professor

coaching2

Sem trabalho, qual é o sentido da vida?

O Trabalho é um conjunto de atividades realizadas, é o esforço feito por indivíduos, com o objetivo de atingir uma meta.(*)

O processo de desligamento,você está preparado?

Trabalho e pós-carreira.

Não é novidade para ninguém que, no nosso processo de desenvolvimento , somos educados  e direcionados para o trabalho, sendo nossa autoestima diretamente impactada pela inserção nesse contexto.Por esse motivo, afastar-se do mundo laboral, por ocasião da aposentadoria, suscitamuito frequentemente, sentimentos de exclusão e de inutilidade no trabalhador. Afinal, não estamos todos inseridos numa cultura habituada a valorizar as pessoas mais pelo que elas produzem (ou aparentam) do que por aquilo que realmente são?(PINTO, Jacqueline S.A.;SCHNEIDER, Silvia R.D.; SOUZA, Susana L.P.;SEADI, Susana M.S.Preparação Para Aposentadoria: Conceitos e Práticas. In: PAZZIN, Tanise A.; PUGA, Débora.S.C.(Org.) Cap.11 Ed. CRV, 2016. 227p.)

Passamos parte de nossas vidas envolvidos com o trabalho, cuja representação social é importante na vida dos adultos em geral. Para alguns profissionais a gratificação advinda do exercício de uma função para a qual são vocacionados,além de fazer parte da sua identidade, na maior parte das vezes é vivenciado como uma verdadeira missão.

 

O mito de Quiron

“ A trajetória de vida do mestre cuidador apresenta características similares ao mito encarnado por Quiron: a transgressão, rejeição, transformação e sofrimento. É  próprio  desse mito o elemento transformação, no sentido  em que a morte, simbolicamente  representada pela ferida, transgressão e rejeição, passa por um processo evolutivo, resultando daí o ofício de cuidador, complementando  o ciclo morte/vida. Renascendo  a partir das feridas  da existência , o sujeito assume o cuidado com o outro, vivendo assombrado pelo sofrimento próprio  que, se  ao mesmo tempo  o deprime, o torna  extremamente sensível  ao sofrimento alheio. Considerando  a ferida humana  básica propulsora da busca pelo conhecimento , é possível  compreender o lugar  do professor como alguém que cuida do outro enquanto iniciante dessa trajetória”.( Equipe do Centro de Atenção Psicossocial(CAP), ligado à Pró -Reitoria da PUCRS) Artigo O Professor como Cuidador. Autores: Jacqueline Poersch Moreira, Alfredo Cataldo Neto, Ângela Pratini Seger, Gilze de Moraes Rodrigues, Jairo Melo Araújo, Jurema KaluaPotrich Maria Lucia de Moraes.

ENSINAR  E CUIDAR; ENSINAR É CUIDAR

 

Profissões que estão diretamente vinculadas ao cuidado com o outro, como: enfermeiros, médicos, policiais, assistentes sociais, defensores públicos, psicólogos e professores,independentemente do status conferido pela cultura na qual estão inseridos,antes de qualquer coisa, cuidam do outro.

O final de uma carreira pode não culminar com a aposentadoria: por opção, aqueles que desejam e podem seguir trabalhando, por necessidade,para os que  precisamde uma renda adicional e por um desligamento abrupto.

O desligamento do trabalho, após muitas décadas cuidando de alunos, coloca o professor em uma outra posição, aquele que necessita ser cuidado, ou no mínimo, aquele que agora vai exercer o autocuidado, até encontrar uma nova situação,na qual esteja confortável e feliz!

O sentido do trabalho, varia de acordo com o valor que é atribuído ao mesmo, e pelo sujeito que assume determinada identidade corporativa. Ao longo de nossa experiência profissional, podemos constatar que são inúmeros os significados atribuídos ao trabalho, e para entendermos esse processo de desligamento, é importante refletir, sobre o sentido e o valor que cada indivíduo atribui a ele.

O trabalho é uma forma de crescimento, ébaseado nessa relação do fazer e ser reconhecido,que vai sendo traçadaa relação do individuo com o trabalho e arelevância em sua vida. Possibilita também planejar e realizar seus sonhos, atingir suas metas e objetivos de vida. Toda e qualquer atividade depois de concluída oferece uma sustentação interior para quem a realizou. Desenvolver uma atividade, faz com que o indivíduo realize determinadas ações, tenha iniciativas, desenvolva habilidades, conquiste seu próprio espaço, seja respeitado e tenha a consideração dos demais. Através dele, o indivíduo cria um envolvimento social independente da família, onde assume uma nova identidade, a identidade profissional. Durante muitos anos os indivíduos são apresentados e reconhecidos pelo sobrenome corporativo, criam vínculos com os colegas, e com as organizações onde trabalham, dessaforma desenvolvem um sentimento de pertença, de dignidade, de reconhecimento, de independência e bem estar.

Viveríamos sem o trabalho? Como?

O aumento da expectativa de vida e o desligamento precoce da vida laborativa, atualmente criam um segundo tempo profissional que pode durar 15,20 ou mais anos. Estamos preparados para enfrentá-lo?

Para alguns não ter trabalho é sentir-se sem objetivo,sentir-se isolado e não ser reconhecido. Para outros, é sentir-se discriminado diante de uma sociedade que valoriza as pessoas pelo que elas produzem e não pelo que elas são. Para quem não se preparou ou teve a carreira interrompida abruptamente, o não trabalho, remete a perdas financeiras, perda do poder aquisitivo, perda do status social. Pode levar ao isolamento, diminuição dos contatos sociais e diminuição da auto estima. A alteração da rotina e perda da autonomia também são fatores que contribuem para os receios de viver em um mundo sem trabalho.  A concepção de trabalho baseada na estabilidade na segurança e no trabalhar até não poder maisestá em mudança,hoje a geração de trabalhadorescaracteriza-se pela busca constante de novos desafios e pelo prazer no que realiza. Não estamos preparados para tanta mudança em tão pouco espaço de tempo, é necessário uma preparação, onde possa ser realizado um plano estratégico para a nova fase de vida que está se aproximando.

A psicologia do trabalho redescobriu que a motivação para o trabalho cresce quando as pessoas veem um sentido na sua atividade” (Gürn&Assländer2014  p.23).Ao mesmo tempo em que o trabalho apresenta aspectos positivos e negativos, ele representa a existência humana. Diante dessa perspectiva viver sem ele nos remete a diversos sentimentos como perda de poder, de pertencimento, de reconhecimento social, mas conforme a situação pode ser vivenciadod e outra forma. Pode servir para a descoberta de novas habilidades,valores,desafios,possibilidade de crescimento e empreendedorismo. Passamos a vida toda nos preparando para ingressar no mundo do trabalho, e poucas são as organizações que se preocupam em preparar as pessoas para viverem fora desse contexto.

Tanto para as organizações quanto para os trabalhadoresserá um grande desafio tratar das questões referentes a preparação para aposentadoria e mais ainda, para a vida depois dela, o pós-carreira. As organizaçõesexercem um papel social relevante na sociedade, sendo necessário abrir espaços para a reflexão junto com seus empregados na tentativa de traçar um diálogo respeitoso e que atenda às necessidades de ambos. Para o trabalhador será necessário repensar novas formas de reinventar a vida, uma vez que os vínculos sociais e projetos profissionais, estão fortemente relacionados a estrutura corporativa. Esse sentimento pode ser visto quando no dia seguinte ao desligamento, é feita a seguinte pergunta? Dá onde você é? O que você faz?Ao nos desligarmos do mundo corporativo, voltamos a ser nós mesmos. É natural sentir-se perdido, atrapalhado e sem rumo. Para enfrentar essa mudança e não entrar em desespero, é importante preparar-se com antecedência sempre que possível, conversar com os familiares,reorganizar a rotina, cuidar da saúde, restabelecer novos vínculos, querer aprender e planejar o que fazer, afinal a oportunidade está aí!!!!

Jacqueline Silva Alvorecem Pinto– Assistente Social, Formação em Grupoterapia- Pós Graduada em Psicodrama- 51 9966-19967

Susana Maria Sastre Seadi– Assistente Social – Terapeuta de Casal e Família- Mestre em Psicologia Clínica- 51 9813-35365

Ambas com experiência de 25 anos em programas de preparação para aposentadoria e grupos de aposentados e pensionistas.

(*) Fonte: https://www.significados.com.br/trabalho/